Rebel: Imagens, palavras...a essência... a natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

A Moment

Um instante 
da vida 
da índia...
brasileira..
nesta foto.
...
Tudo é muito misterioso,
neste longo 
e estranho caminho, 
Ver,
Sentir,
quando na vida
você está disposto,
ai
fica sensível e pode
perceber.
Então 
chegou um
momento,
era só começar,
aqui continuo,
o mesmo.
desde o tempo,
junto ao rio Roseira...
no seu belo e azul leito,
onde  ficava maravilhado,
vendo ovelhas pastarem,
por onde ainda
corre..
suas águas.


domingo, 27 de novembro de 2016

Snow in Iomerê

No entanto, 
escrevi
este post,
não para provar,
que me importo 
com Iomerê,
Já sou um cara 
bem sucedido,
nunca,  
fiz nada 
para ser 
reconhecido, 
nem escrevo 
ou falo  
para aparecer.
Então
meus passeios 
por aqui, 
resultam sempre
em algo ou sempre
produtivo e
aprendo algo com
a história,
aprendi enaltecer
a cidade, onde 
não posso dizer
que
só tive muitos 
coisas boas,
mas elas as 
coisas boas 
existem
em 
todas circustâncias 

servem até 
mudar ou aprimorar, 
meus 
pensamentos daqui. 
Neve nos anos 50,
Neve nos anos 60
Neve nos anos 80.
....
A razão pela 

qual gosto de relembrar a neve e
postar aqui,
é muito simples
ou uma coisa

quase boba,
A neve é agora
algo tão distante,

uma
verdadeira saudade.
Nos já distantes anos 60 
era tão ou
muito comum
e hoje,
por isso 

a lembrança 
de então,
intacta, 
talvez intensificada 
pela ausência e
passagem do tempo.
Em minhas andanças,
ao chegar na praça 
olhava o seminário,
pensava quando o inverno
chegava o frio 
lá em cima
era de ficar congelado.
....
Desde então...
Sempre caminho em busca 
de algo aqui...
desde

uma 
bela foto
e algumas lembranças.
Queria 

e quero saber 
que houve durante
estes anos.

com o inverno daqui,
que já não faz mais neve..
e se fazem tanto dias de
calor e há mosquitos 
no ano todo..
E a única explicação 
que agora tenho,
é que tudo muda,

para melhor
ou para pior,
é que só não só a neve sumiu

neste item,
resta pensar e imaginar, 
pois
sentir neve talvez só em outro lugar, 
Enego - Itália onde os avôs, Dalmolin 
são originários
......
Iomerê 

sempre me cativou,
por

certas lembranças, imagino
que são as mesmas 
de outras pessoas
que têm prazer em viver,
em lembrar,
que viveu e vive

em uma cidade tão bela..
Gostar daqui 
desinteressadamente
é algo que penso existir
hoje,

como nos anos 60.
Relembrar ou não.
Questão de gosto, não?.

Sempre gosto
e gostei,
gostaria de poder explicar,
isso, o motivo 
que existe 
meu encantamento 
pela cidade
para aqueles que 
eu amo ou amava, 
como
minha mãe, 
meus poucos amigos.
há sempre
palavras, 
para descrever, 
ja que há poucas fotos 
e raras, 
muitos ensistem 
em ocultar.
Existe um certo 
grau de saudosismo,
nada que 
seja diferente 
de todos os seres vivos.
Aqui é o lugar
conheci 
um verdadeiro 
sentimento 
de carinho
solidariedade, 
de afeto 
fora
de casa 
e numa 
escola chamada 
Frei Evaristo, claro 
aqui também
conheci 
a neve na praça. 

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Sunshine.


Às vezes é uma coisa milagrosa 
acontece..
através dos olhos,
no sol que desaparece suavemente.

..
Às vezes num dia 
é mais profundo 
do que quaisquer outro.
Pelos olhos 
é como uma chama para dentro.
Eles brilham até com 
que os poucos raios que restam,
desaparecemm 
num 
brilho do pôr do sol.. 
ao longo de muitos segundos..
que deixam os olhos 
ficarem brilhantes.
É a emoção do pôr do sol.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Letter XXX

Por mais irrelevantes 
que sejam alguns 
acontecimentos,
diálogos
e
pequenos 
desencontros,
é isto que nos sustenta, 
elementos da fantasia,
sem abdicar do real.
...
A beleza de tudo,
se dá nesses elementos,
onde 
percebemos
que há 
diferenças 
que nos 
unem 
e que nos separam ao mesmo tempo...
nossas vivências, 
nossos modos,
nossas posturas em relação à vida. 
A escolha é nossa..tudo a ver 
com uma maturidade crescente.
tantas coisas...
a nos envolver...
a nos prender a atenção... 
sendo que o que mais queríamos... era algo mais simples... 
ficar aqui... 
falar com você...
imaginar-me chegando,
olhando seus olhos...
beijar de leve sua boca...
encostar seu rosto no meu ...
e ficar assim... 
nos seus braços... 
sentir...
teus braços a me envolver...
a sentir os meus braços a enlaçar você...
tão carinhosamente, 
que não quereríamos mais...
sair dos braços um do outro...
Sentir... 
o contato um do outro...
os nossos perfumes... 
os nossos calores...
os nossos corações... 
as nossas respirações.. 
as nossas saudades... os nossos carinhos...
nossas almas que se buscam...
Assim... 

Once Upon a Time,

Existe o relógio
obstinado 
e ligado  no tempo.
Olho 
e vejo 
o tempo passar...
nas silenciosas 
horas.
Sou, 
como vocês..
estimo cada minuto 
que passa.
A vida é como
um filme,

acompanha
no tempo,
aparece..
cores, 
flores, 
beijos
amores...
encontros,
desencontros,
a união
e a  separação,
a rejeição,
num cenário,
nunca 
único
varia
de um 
em um
ou cada um 
e fazemos 
volta e meia 
entre eles
uma ponte inevitável...
com o passado...
já que muito 
que temos 
é passado...
Mas cada pessoa,
guarda sua 
história...
no seu, 
só seu tempo..
no nosso tempo.


Nada Além

Algo que 
seja tão nosso,
como 
nossos sonhos.
...
Nestes tempos
tão confusos,
ainda
posso dizer que somos 
pequenos mas engrandecemos 
diante dos sonhos.
A magia do amor nada ou nunca 
estará descartado.
Ele nos nutre.
Há ainda por ai sempre 
uma revelação 
importante sobre 
o verdadeiro amor..
personagens importantes,
nós.
Em meio a caminhos... 
que se cruzam insistentemente 
e o dia que se  cruzaram,
sentimos, no "amor tudo pode".
Aparecem tantas coisas...
a nos envolver...
a nos prender a atenção... 
sendo que o que mais queríamos... 
o algo tão mais simples,
Amar.
Amar, nada além de amar.



segunda-feira, 21 de novembro de 2016

11

....
Muitas vezes...
Podemos,
escrever
ou 
só pensar..
mas, 
às vezes, 
elas, as fotos,
são 
quem
falam
por nós.
Seja um 
rebelde...
não aceite 
nada com passividade.
....
foto 
acima 
é 
minha, 
ela 
tem 
este
significado..

...
Uma maneira 
minha, 
de 
dizer 
algo..
com boné
n.11. 
Não 
há 
nada 
além 
do que 
é 
visto.

sábado, 19 de novembro de 2016

Vale a Pena

Sempre, cada vez 
que estou aqui,
ficsurpreendido 
com a cachoeira.
Como é bom 
sentir 
a natureza,
presente
na mata nativa,
nas águas correntes,
é aqui um refugio.
...
Se deparar 
com ambiente natural,
tudo fica 
subitamente 
rico e
inspirador,
abre 
um leque
de 
possibilidades.
Por um 
tempo mesmo,
que 
tenha ficado 
alegre 
via através 
das lentes 
e acreditava que há
esperança 
para o homem.
Há sim beleza 
no mundo
A gente 
precisa 
acreditar 
que 
o ser humano  
vale a pena.

Road

A busca do  
próprio caminho...
A gente passa 
a vida toda,
a vida inteira, 
nesta busca, 
nesta estrada.
...
Sim,
para onde,
cada um
está indo.
Isso, cada um sempre se pergunta, 
o que 
quero dizer,
qual 
o caminho,
que 
estamos 
indo.
Poeira
Lamaçal, 
belo asfalto 
ou
chão pedregoso.
Olho para longe,
Minha própria 
mente, 
percebe assim, 
será sempre
um caminho, longo ou não.
Cada um de nós 
percebe sempre assim,
há sempre
um sentido,
de estrada
de caminho.
Uns em 
certo momento
à deriva
outros perdidos.
Acertos,
nem tudo,
nem nada.
No caminho de
possibilidades, 
e
oportunidades. 
do desejo e do sonho
e outros andam
na direção oposta.
Para muitos a 
sua verdadeira 
estrada 
está só 
na imaginação.
J. Kerouac
dizia: 
a estrada é vida.
Mas estamos 
sempre indo...
a vida segue em frente 
todos o dias,
nesta vastidão de mundo. 
Nas Rodas 
ou em pés humanos.
Bem no caminho, 
longo ou não,
há 
muito ou
quase não há nada 
a reclamar, 
depende de cada um,
depende de nós..