Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O verde é belo

GREEN
Les deux grands secrets du bonheur : le plaisir et l'oubli.
Os dois grandes segredos da felicidade: prazer e esquecimento.
Alfred de Musset

Extrait de "La Nuit vénitienne "
Existem viagens..
Algo transformador...isso
"A mim me interessa  a natureza..e photos..essa interação..
o lugar..a atmosfera,
para criar intimidade e passar aquilo para a photo..
Sempre fui atraído por estas possibilidades..
a natureza..é complexa..
o país belo, e sempre há uma  forma.. um jeito de captar..isto..
"Essa ideia" não é um trabalho simples.
Sei que estou correndo riscos, assaltos..cobras..

mas é excitante sempre  fazer algo que me desafie.
O resultado..as vezes dá uma dimensão da beleza..
e uma tranquilidade.
THE GREEN IS BEAUTIFUL
O verde é belo e fundamental na vida...nossa
É com um sorriso nos lábios que eu falo isso...
Lugares assim nos ensinam ou  acabam nos provocando a me repensar..tudo..

Fora  de casa..me aventurando, quero isso.. para a minha vida, sou um rebelde..
Esse  desejo..me fez ver o quanto posso ter prazer e ser livre..
para arriscar...fazer fotos..pensar refletir..escrever...
dá prazer..relaxa a mente..desligamos do mundo...
"Sei..que vou acertar, mas vou errar..mas tudo bem."
A vida segue..
Eu quando volto..sempre..












Recebo sempre boas notícias dos seus Lindos Lábios..

Vermelho

No ar,
teu gesto, tua silhueta
São belos..
qual bela imagem;
 em tua imagem
  tua mocidade,
  teus ombros 
dos teus braços.
 Fulgurantes,
vivas cores
De tua vestes
indiscretas
  vestes loucas 
por quem enlouqueço,
 pela beleza
Da cor,
Ali numa flor
  a carne embevecida,
 deslumbrante,
mais ..
  meu veneno,

envolvente,
tépida luz que invade.
-.-.-

coisa linda,
muito linda, esse rouge,
que ficam sempre na mente..
inspiram..
deixam a imaginar
o lindo vermelho..
ah..
só a mulheres 
tem estas cores..
e talvez sabores..
seduz.
Foi um misterioso olhar...
no vermelho..ai eu pensei
bem pra mim esta
é a minha
percepção da mulher
 e beleza feminina..

 
 

QUERIA ESTE TEMPO DE VOLTA

Eu tenho Saudade do padrinho
e da madrinha amados,
da música da minha infância,

que com tão pouca freqüência é tocada hoje.
Algo, no coração, imensamente valorizado.
Falta tempo para todos...recirdar isso
Meu tempo era do Lp e depois pureza do som dos primeiros Compact Discs, algo tão banal hoje.
Era massa a praticidade dos primeiros CDs, sua precisão e acuidade.
Dizem que já veio tecnologia por aí, que os tornou obsoletos.
Não vou negar que aprendi a gostar de música, ainda bem pequeno com meus irmãos
e meu estimado amigo Dr. Duval,
ouvindo frágeis bolachões de Elvis.
Tocando com maestria tudo que fazia som, ele e meus irmãos, ensinavam que música boa não ficava na parada de sucessos algumas semanas, e depois desaparecia! ou ia para a fama...se era boa.
Curtindo a juventude, sem que percebessem, muito valores aprendíamos.
A maior droga da atualidade, consumida pela maioria dos que agora me lêem, é o excesso.
Frente aos desafios da vida, frentes aos nossos sonhos mais escondidos, cercam-se metas, desejos e pensamentos demasiadamente complexos.
Possuímos muitos recursos, que poderiam trazer mais felicidade e mais completude, para nossos imensos buracos existenciais.
No entanto, estamos mais em busca daquilo que nos falta, do que curtindo aquilo, que de real valor, já conseguimos.
Temos celulares que falam e que nos localizam, em tempo real, para qualquer sujeito do mundo.
Não há gota de água no oceano, ou grão de terra no mato, que não sejam passíveis de localização via satélite.
Estamos constantemente vigiados por GPS.
Ah, mas que saco, tanto controle!, dizemos,...
ah, esse chefe que não larga do meu pé! reclamamos,
Ah, que diabos que ela está fazendo que não me atende!”, invertemos,
Ah, por que será que ele não liga.., cobramos.
Transitamos, ambiguamente, por desejos de nos completarmos no encontro com os outros... ou nos desligarmos completamente!
E não são ambíguos, os dependentes?
Podemos nos comunicar com um amigo na ITALIA, ou um antigo AMIGA NA iNGLATERRA, ou Maravilha! Não precisamos perder tempo precioso, em intermináveis filas... Mas a vida continua um constante inferno, porque nunca temos tempo!
Dependentes também são cheios de desculpas.
Conectados estamos...
O telefone não pode estar desligado temos pânico do sinalzinho eletrônico do fim da bateria.
Os sites e rádios de notícias nos suprem, o tempo inteiro, de informações e de entretenimento.
O MSN está ligado, o Orkut também.
As músicas que baixamos e compartilhamos, o vídeo da gostosona que vazou na Internet, tudo já foi visto... A
gora tem até um tal de Twitter.
Acho que o Twitter, já é coisa antiga...
Ainda mais antiga é a sensação de que, mesmo frente a tantos recursos de atualização, de informação e de mídia, estamos sempre a quem do volume de textos e bites que recebemos. A locomotiva da história, atualmente, parece que sempre nos atropela, que estamos sempre defasados, que a ignorância nos passa por cima.
O excesso que vivemos, a incompletude que sentimos e a falta de sentido que experimentamos se transformam em nossos maiores algozes.
Para eles, realmente nos rendemos, deprimimos, temos pânico. Então, enrolamos os nossos baseados, como os dependentes que conhecemos e somos: Mais trabalho ainda para ainda mais excessos.
Consumo em demasia para a incompletude, porque se não nascemos com algo, temos que comprar sempre para nos suprir de algo. O que mesmo?!
E tome consulta psiquiátrica, remédios, terapia para angústia, para o estresse e para a falta de sentido de vida.
Tudo isso sem curtir nenhum barato!
Barato não há, porque é caro manter o celular para falar e reclamar sabe aquele modelo massa, que faz até download de vídeo?
O modelo bacana rapidamente se desatualiza. Barato não há porque se torna caro manter um padrão de vida sem sentido. Caro para o que é extremamente barato, e não damos muito valor, como os contatos gratuitos e de amor que encontramos, ao longo da vida.
Nos vinis da infância, tinham alguns dos maior ídolos e que as vezes buscamos de novo.
Ou será.. quando saberemos dar valor para aquilo que conquistamos.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Ah..é uma magia em tudo

As palavras,
são o meu modo de olhar
para o mundo, 
de o entender, 
de o
sentir.
Que é o mesmo 
que quero
dizer das fotos, 
que só sei falar 
do que vejo
e do que sinto...
delas.
.
A profundidade com que conhecemos
alguém é uma pergunta a que só o tempo
pode dar resposta.
É ele que faz com que o "outro"
se entranhe em nós, nos
corra nas veias, lhe adivinhemos
os pensamentos e antecipemos
os movimentos.
Até que um dia se descobre com espanto
a suavidade da pele por detrás do
joelho ou um pedaço de pescoço
que o cabelo escondia e damos por nós a
pensar:
 "afinal não sei ou  nada sei, nada de ti".
É essencial viver de encantos,
para todos e outros tantos.
Viver para o
melhor de tudo e não para o melhor de nada.
Ter o coração por deus e mesmo
que seja sempre adeus,
dizê-lo como quem começa, com pressa.
 Ter coragem
para toda e qualquer viagem.
 Sonhar acordado.
Encontrar e ser encontrado. Ir
ao fim do mundo e voltar num segundo.
Ter sede que nunca se mata, ser lago e
ser cascata.
Já fiquei com uma certeza absoluta:
os anjos têm as pontas dos dedos muito
delicadas!
Em detalhe
Eu aprecio os pequenos detalhes:
a veia que contorna o músculo, o olhar
demorado de pestanejar lento,
o frio arredondado da ponta do nariz, o
caracol de cabelo gentilmente
apoiado na curva da orelha,
a pequena ruga 
na pálpebra que alonga o sorriso,
o levantar lento da sobrancelha pensativa, a
suavidade da pele que fica na ponta
dos dedos muito depois do toque, o virar
da cabeça na distensão do tendão
do pescoço, o apoiar do
queixo na palma da
mão...
É isso que nos torna diferentes e únicos.

Nuvem

Uma nuvem,
uma flor que não sabe
por que
a nuvem se move...
Eu olho para o céu
e sinto apenas um impulso,
um motivação a contemplar as duas,
algo que a conduz para esta foto.
Mas o céu e a flôr não sabem
os motivos
mas foto é bela pela flor
e a nuvem por trás .....
Estou teclando..navegare...
preferia, estar..em outro lugar
fazendo outra coisas..
ou  vc me fazendo..
um carinho por isso...
Me perdoe se me descubro,
(mas navegando),
assim sem vc..
sinto ai
minhas franquezas...
minha fraqueza,
me perdoe se vejo em vc..meus
sonhos..minha gratidão..
me perdoe se transporto
a vc os meus
sonhos,
 meus ideais, meu irreal...
me perco..sozinho...até
entender que não estou com vc...
para sentir, de fato, vc meu...
amor e encontra-la tenho que buscar,
sonhar..ir em sua
direção...simplesmente sendo,
assim te acho.
Queria ser apenas uma flor,
apenas uma rosa,
com prazer sentir vc
me acariciar..eu te acariciar
e  nós sentiriamos o meu e teu cheiro,
já que a vida é tão
dolorosa..(as vezes)
e não te sei dizer mais nada!..
queria vc
assim agora.
Com prazer me sentiria,
como no teu próprio pensamento...
vou, a
este...com êxtase,
inspiração, desejos,
sonhos, plenitudes,
satisfações.
É meu gozo, é meu prazer.
texto rebel

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Rosa nera

Uma rosa à noite
não torna-se nunca preta.
Destruíram o ninho  de
uma andorinha,
tiraram uma pedra
até lá em cima.
Cortaram as asas de
uma borboleta
e
a borboleta não se move mais.
Estão mudando o mundo,
estão  se matando...
Mas uma rosa à noite
não torna-se nunca preta.

Não sou um beija flôr

Liberto estás,
se não tiver medo
de assumir isso,
ai está a tua condição,
por que humano és,
não és um beija flôr, 
não sintas triste,
chateado, deprimido,
por isso,
que esta inquietude não
te leve as lágrimas
Oh homem não ficas furioso
ao te ver assim,
Liberto serás
se aguentar as consequências;
Liberto serás,
se for feliz e do bem,
Liberto serás
se conseguir amar
Liberto serás
se não odiar simplesmente
liberto e feliz com sua existência
serás
agora,
se você quer ter esta liberdade,
não tenha medo
Talvez assim nem sejas
tão infeliz assim.

Suave é a Noite


A banalidade é comum.
como ouvir a chuva cair...
a lua..
a penumbra.. 
O mistério não é comum
a todas a noites,
nela temos a tentação  e..
a
revelação libertadora
 dos desejos e aconchegos.
texto e foto rebel

Vida dura a minha.....

Parece exibicionismo demais?
Pode até ser.
Mas, se por um lado é lazer..
isso levanta este tipo de questão, um cara,
despojado o suficiente para
registrar o que faz.
Belos momentos de música
e vida ao ar livre.
 















 

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Há os limites dos teus olhos

Foram precisas algumas experiências
de vida para compreender..
as vezes o que se  tem  de alguém,
 de retorno,
 no longo prazo eh nada...
mente constrói e desconstrói

a realidade,
mas há os limites
da cognição e
atenção.
ah...não...há os limites
teus olhos que me penetram...
sondando meus mais íntimos ...
recintos
Tua boca....sutilmente colada

a minha...
Teus braços a aninhar-me
me acolhem num tão carinhoso...abraço,
E, me escondem do mundo...tão mau...
me proporciona, proteção...
calor...
desejo...
onde libero toda emoção reprimida...

De mim

No raio de sol... que se vai
sentirá calor dele...
De mim,
 o toque aveludado..
a textura de minha pele...
a suavidade..
na luz de meu olhar...
na imensidão da noite.
tolas repressões...
se vão...
importa as emoções...
 sem hora marcada..
a  afeição...
  a sensação,
a bela emoção, 
o brilho do olhos,
que brilhem, 
por amar, 
pela harmonia que paira no ar,
momentos lúdicos, mágicos,
 a pureza que sentimos
e encontramos...
 

 

Num lugar qualquer

Ao ler..pode
ser algo com Edgar Allan Poe...
Em certo dia, à hora, à hora..um lugar qualquer
Do meu quarto um soar devagarinho
E não imaginei..
estas palavras tais:
É alguém que me bate à porta de mansinho..
Há de ser isso e nada mais."
Ah! bem me lembro!
Bem me lembro!
Era no glacial agosto..
Nos céus anjos chamam...
Algo vago, brando,
ia acordando
Levantei-me.
e alguém pede à minha porta
a entrada..
Vinha de um sonho, de alguém
cujos beijos podem ser letais.
Supondo que..fosse alguém,
eu quanto ingênuo...
Abri a porta...
uma mulher.
um ambiente... "noir",
Há de ser isso e nada "mais."
Da minha triste boca
então vais...o teu beijo..
voltando-me a ela..
se foi...
"Seguramente, há ser pela janela
Alguma coisa que sussurra...se foi
Ela, se fora...
A explicação do caso misterioso
Sonhos apenas sonhos..
Então a paz a um coração medroso.
Obra do sonho meu e nada mais."
Uma ave negra, friamente posta, abaixo
Foi um triste pensamento;
Coisas a quem sonha só de noite.
Há algo de medo, imaginação e poesia.
e nunca vi como os outros viam...corvos.

Minhas paixões..e eu não podiam ter algo assim
Fantasia, mistério e certo romantismo,

 vivem em nós, em lugares..
um lugar qualquer...noir
A existência desses sonhos
era desconhecida.
É a primeira vez,
porém que conto..
Mas há algo por trás dessa foto...
feita num lugar qualquer
Me levou a sonhar com
os tais beijos
que podem ser letais...
Não nescessariamente..letais
Supondo que..
fosse alguém..
uma mulher.
um ambiente... "noir",
Na vida há interferência
lúdica e irônica..
O inverno mesmo que glacial
é "belo",
sofrer com o frio..não será tão belo
só norte gracial
ou no extremo sul polar,
entendermos a razão...
Sobre tais beijos..
Lembrei..
que qualquer beijo
me deixa sensível..
ando tão..
 ao teu olhar flor
na janela me faz morrer...
ando tão
que meu desejo se confunde
com a vontade de não ser...
UM POETA DISSE:
ando tão à flor da pele que a
minha pele tem o fogo do juízo final..
"Fiquei...super sensível
quando escutei"...
talvez dá... o tal beijo..
Words
PHOTO
REBEL

O vento sopra

O vento sopra,
no meu rosto
observo
onde o sol
se vai e 
onde lua
ainda
vem..
 

Proibido

Pensando bem...
No mundo contemporâneo,
isento de interditos,
onde nada é proibido..
e..
se eles só existem quando
nós mesmos,
 os construímos.
Isso é o que faz de fato bela
diferença.
Mas todos criam próprios
obstáculos ao amor.
Talvez porque toda proibição
verdadeira parte de nós mesmos.
 

LETTERS

Sei que não imagina...
 o quanto me fez feliz...
chegar aqui...
ficar comigo
em Porto Alegre 
vir aqui..
eu a falar
com vc...
falar de mim...
perguntar..
sonhar,
magico que acontece,
conosco...
poemas me lembro....
Pablo Neruda:
“Há palavras necessárias
como o pão,
e que nos degustamos
como o bom vinho.
Para que as palavras
tenham gosto,
como
se bebe o bom vinho,
elas têm de nascer
do mais íntimo
das entranhas.”
  Há tb, lado a lado, nossa vida
 a vida como vinho,
seus valores inegáveis
e de
do
conteúdo excelente
em todos os sentidos...
Oferecido
em pequenos cálices

de cristal entre nós.
Há um lugar na vida para tudo
ser degustado aos poucos
E eu agora... 
por me fazer atencioso,
 escrever algo.. a poesia...
me socorre 
por me
fazer descobrir...
que na vida há espaço
para o amor...
para as ternuras...
para os carinhos...
És a responsável,
por eu estar assim...
a dizer...
a escrever....
essa sensação gostosa...
 deixa a alma leve...
o rosto com um
sorriso...
no olhar..
o brilho daqueles
que amam...
fecho os olhos...
recordo... aliás...
é uma
redundância dizer isso...
 pois sempre estou a
assim revê-la...
de todas as vezes
que vem aqui,
nossos passeios
na rua da praia..
ficas
 em pensamentos...
fecho os olhos...
quando vejo uma
flor...
quando escuto uma
música...

nossas músicas...
nossas flores
 quando acordo...
quando vou
dormir...
Agora... nesse momento...
 quero ousar dizer..
faço uso das palavras
como Neruda Diz...
O teu carinho
 levado a alma...
que tem feito me
sentir mais ‘humano’
ultimamente...
tem-me faltado palavras..
pois o que sinto
tem-se avolumado...
tem crescido... tem
se aperfeiçoado,
evoluído, o carinho por você...
tem
sido tanto amor... tanta ternura
que me invade... essa
energia de amor que me move 
vai dentro... em sua direção,
parece que me invade a alma...
preenche os
poros...
me eleva...
é minha pedra rara...
minha alma
preciosa...

de ti..
que preciso,
amor... amei...
amei ...

falar com vc
na madrugada...
não falamos de
amores...
mas falamos de nós...
o que nos acontece...
o
que vai pelas nossas mentes,
as
nossas vidas...
não imaginas...
afinal... 
nos
conhecemos..

temos nossas intimidades...
Aprendi sobre

que gostas no
o banho,

trocar de roupa, café, etc...
e sei...
doce como vc é...
sei que se perguntar mais
falaria..

que não a estaria
‘perturbar’ ...
ou que o estaria
‘invadindo’... seu..mundo..
tudo vem das entranhas de nós mesmos.