Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Sem Amor a vida é ordinária.

That Monday.
I still here..
Believing.
Sem Amor
a vida é ordinária...
A existência é uma batalha contínua.
A vida sem capacidade de tirar prazer
de coisas simples..
é uma droga..
E se a vida a dois é assim.
Não tá legal.
Encontros cada vez
mais raros
e
incomuns,
esse amor..
Mulheres assim,
Tristes e Más.
Será que só as coisas boas
é que são tão excludentes no dia, dia..
As coisas ruins não são assim..
Estou sendo digamos assim,
mais racional
sei só que somos, na realidade diária,
obrigados, nos momentos mais críticos,
apenas escolher entre as coisas boas,
as que são menos danosas..
e coisas ruins a gente não escolhe,
acontecem.
Que então escreves,
sobre o amor..
aborda os prazeres..
um acontecimento incomum...
de nós todos.
Amar..
Em um tempo de más noticias do Brasil,
em que todos vem tudo como coisas ruins ou más,
há outros sentimentos,
viram motivos para filosofar,
o amor é a nossa melhor linguagem..
Detesto ter que contar isso a todo mundo..
Depois parar de fumar,
que fiz uma solidariedade à vida,
São essas pequenas gentilezas
que fazemos com a vida..
nada cotidianas que se faz
que tornam a vida tolerável.
Isso é o amor a nós mesmos.
Por que, agora, uma senhora,
resolveu escrever
no meu facebook sobre o amor..
ideias sobre o amor....será que tem
algo..
impossível..
Claro..
Podemos pensar no amor não só em termos de tragédia,
mas também como uma comédia.
Dar risada...
de uma pessoa mal amada..
falar sobre amor..
o amor ordinário.
é difícil se separar,
o que é bom...e ruim
na vida amorosa.
Nós humanos devemos desistir de mentir sobre si mesmo.
Isso traz outra dificuldade,
quando a verdade de nossos corações aflora,
as vezes é tão nebulosa..
Mas o ideal que o amor seja extraordinário,
fora do ordinário ou do comum.
O amor ordinário...
é o amor,
que vivemos na vida real,
em sua maioria das vezes,
com seus platôs.
Não conseguimos ver nisso material para
criar nossa história de amor e ficamos esperando
que uma nova pessoa ou uma nova oportunidade
nos traga a experiência extraordinária.
O negócio é a pessoa encontrar a forma mais rápida
de satisfazer seus desejos.
O sexo é uma mercadoria
muito mais fácil de que achar que o amor.
Outro problema é a obsessão moderna pela felicidade.
Ser feliz virou uma obrigação e o amor..
como o sexo, o trabalho, a cultura,
só servem se nos trouxer isso.
Mas, ao mesmo tempo,
as pessoas não acreditam mais no "felizes para sempre".
Então, trocam o eterno pelo intenso, querem algo que as deixe muito loucas, como uma droga, ou as leve a estados profundos de desespero.
É um ideal, que nunca pode ser concretizado..o amor.
É também real, mas é só uma parte 
da história de amor que construímos no decorrer da vida, digamos que são alguns picos. Mas são os que queremos repetir sempre.
Porque tudo começa no primeiro amor,
a grande experiência da paixão que,
normalmente, termina com algum grau de tragédia.
É arrebatador porque é uma ruptura com a família,
amamos outras pessoas que não são os nossos pais. Isso é realmente fora do comum e nos transforma.
Essa experiência acaba sendo o molde
do que esperamos encontrar no "verdadeiro" amor.
E também é incentivado pelos ideais do amor romântico...
E por ideais pós-modernos mesmo.
Hoje, nossas fantasias não são moldadas exatamente
pelo amor romântico,
inalcançável, mas pela cultura do excesso.
Temos tudo, queremos mais, nunca estamos satisfeitos.
As pessoas não gostam de nada moderado, parece que estão perdendo algo. E não temos paciência para os hábitos do outro. Há fases em que o relacionamento é muito irritante.
E vale a pena insistir em um amor que se tornou irritante..
Não.
Mas a saída não é a fantasia de que vamos achar
outra pessoa que satisfaça todas as nossas expectativas.
Não tenho a solução, e dizer sobre isso nos
faz lidar melhor com a necessidade de amar e ser amado.
E as pesquisas da neurociência sobre o assunto, ajudam..
mas a a neurociência ainda tem muito pouco
a dizer sobre o amor.
Inspiração,
By Lisa Appignanesi,
diretora do Freud Museum.
Photo Rebel

domingo, 23 de julho de 2017

Como.

Como posso falar
com você...
quando sinto saudades
e não sei como fazer
para falar...
Como alguém ainda 
pode imaginar
o teu cheiro..
se não sinto..
se não toco mais sua pele...
Como alguém pode aplacar
o desejo de um beijo
de outro....
quando não tem mais o doce
sabor dos lábios
desde outro dia...
O que alguém faz
com tanta coisa em mente,
dentro de si...
que é de outro...
Como fazer com tantas
coisas dentro de si...
que não servem só para si...

Mysterious Ways XX

...
Misteriosos lugares...
intimidade  
sentida...
incandescente,
nestes
caminhos, 
Misteriosas 
maneiras...
Misteriosos 
caminhos...
Sem 
Saber 
que era tudo mistério por
onde andamos.
Foi sim
nada 
comum,
e 
nos deixou 
assim..
coma algo que
Secretamente 

ousamos
queríamos
ter..
desde os meus e 
teus mistérios.
Por que mesmo 
partimos...
nem um de nós 
sabíamos.
que seria tudo isso.
E há tempos 
o destino 
nos deixou 
este caminho..
para algum dia.
que foi este lugar misterioso.
Sem saber 
que
toda verdade..
veio
os olhos 
que
se entreolharam,
na chegada
eram os 
mesmos 
da despedida...
Não, 
a despedida
estavam
cheios de lágrimas
e a vida continua, 
é isso mesmo,
quem sabe um dia
revivemos
tudo,
tudo
que passou,  
só sei
que 
nada
não,
se perdeu.
intimidade  
sentida...
mas
sem
ser 
escrita.
Bem ai 
escrever
é mais 
difícil,
num jogo 
de palavras,
estou tentando...
Há a mulher 
jovem,
na juventude,
em
que tudo 
promete...
e entrega,
o que
é muito
excitante...
ser

ousada...
também 
significa 
estar 
transgressora 
isso
que tento escrever,
um registro 
sísmico  
do corpo 

da
alma de alguém 
com outrem.
Me dizias...
não
me levas tão a sério...
Este lado meus é tão 

obscuro..
e tão
misterioso...
my,
the dark side moon, 
nem tão obscuro 
é..para você agora, 
há sempre 
uma outra face numa mulher... 
que dizer 
da vida 
deste alguém..
de cada um,
dum lado que 
não se vê.. 
mas que existe...
só tu me contemplas agora,
como
o dark side moon,
é para poucos
muito
poucos
e
muitas vezes 
em meu fogo..
algo caliente, 
que pega fogo.
Pensei estar 
assim com
você, isso,
ah um caminho 
um lugar misterioso
mesma que nua,  
ainda parecia  um
sonho estar
com você
ainda
debaixo de casaco 
de couro. 
Acredito 
que nada 
que és
se perderá,
na 
Mulher que
pediu 
que um dia fosse minha
em
algum lugar 
misterioso
e que
fomos 
nos
encontramos,
nos
cruzamos
pelos 
caminhos 
misteriosos,
sem nada mais
que oferecer o 
carinho um 
ao outro.,,.
sem nada mais 
a dizer,
talvez
não vais esquecer,
de quem ficou
de que 
gastou 
seu tempo
deitada ao lado...
num lugar misterioso 
no alto da montanha
Andei 
lembrando de tudo...
agora que 
cheguei em casa
isso que fiz 
com você, 
sempre 
parece algo
meio que 
perdido hoje,
ou 
esquecido 
hoje
pelos homens,
tão
comum
no
passado,
isso,
o romantismo, 
que aflora a pele.
Meu gosto 
não
passou...
escrevo 
com tinta 
saturada
de paixão 
deste 
sentimento,
que nos tomou.
lá neste lugar
bem alto...
que por misteriosos 
caminhos chegamos
a este
neste 
misterioso lugar.

Ways

intimidade  
sentida...
incandescente,
caminhos 
vermelhos.
Foi sim
nada 
comum,
que 
me deixou 
assim..
preguiçoso...
intimidade  
sentida...
mas
pode ser 
escrita,
ai é mais 
difícil,
um jogo 
de palavras,
vou tentar...
Há  na mulher 
jovem,

na juventude,
num tempo que
tudo promete...
é muito
excitante...
ousada...
também 
significa 
não estar 
apaixonado,

que vou escrever,
um registro 
sísmico  
do corpo 
e alma de alguém 
com outrem.
Me dizias...
me levas tão a sério...
Este lado obscuro..
e misterioso...
the dark side moon, 
nem tão obscuro 
é.. 
há sempre uma outra face... 
que dizer da vida 
de alguém..
de cada um,
dum lado que 
não se vê.. 
mas que existe...
muitas vezes 
em seu fogo..
algo caliente, 
que pega fogo.
Pensei estar assim com
você, isso,
ah um caminho avermelhado
mesma que pelada,  
embora sonhei com você
debaixo de casaco de couro. 
Meu desejo com você,
era curtir todas nuances 
de um bom sexo...
isso é algo bom.
Tá  bem...
não ninguém 
vai achar 
"nada demais", 
mas é tão excitante 
mistérios de alguém
que esteve
presente,
depois de tanto tempo ausente, 
que escrevo
neste texto.
Para nossa época  

a web 
abastecida a vida alheia,
mas aqui será algo meu..
então.. 
que haveria então 
de interessante..
de alguém 
que não 
é nenhuma celebridade..
como eu.
Ser escrita..
e bem escrita..
o lado iluminado da vida, 
da vida pessoal, alegrias,  
e menos também inseguranças..
Folhas..
antigas....
cópias..
da memória.. 
da intimidade,
de todos estes anos...
quase nada  restam.
O mais importante que  
sempre escrevi,
ao escutar,
o meu mundo interior.
Os textos, 
a escrita, tem algo confessional,
sempre tem 
uma função catártica, 
de alguém que se revela..
Gosto de textos de natureza 
confessional...
Há sempre numa 

pessoa algo mágico...
então ai vai algo assim..
em que colocamos..
nossos, meus estados 
de espírito num papel, 
sem filtros,
sem uma forma preestabelecida
e com uma intensidade 
tão emocionante.. .....
eu gosto do que escrevo...
Percorrendo os caminhos da alma..
Hoje acordei, 
lembrei da mulher jovem,  
ah queria
gostar um 
pouco mais...
é bom,
pensar 
assim... 
transmite paz..
espirito absorve...
com 
toda intensidade 
do momento..
me dá harmonia,
o brilho na alma.. 
sempre dá a beleza 
a todo ser, 
que não se vê..
apenas sente-se
assim eu sinto...
Aos 50 em particular,
sente-se alguém 
na juventude 
não são apenas 
os corpos jovens, 
que pelo simples 
fato de existir..
ousadia e tanto desejo
aos 20...é
assim... 
diferente...
também os olhares,
nossos gestos, 
conta 
num tempo
em que ainda tudo
parece intenso, 
próximo do infindável
e possível.
Os velhos, 
com os corpos pesados 
e os rostos marcados...
e não é o meu caso..
tenho pouco além do 50...
Eu sentia 
a vida doutro lado.. 
que sinto hoje..
muitas vezes 
se parecem 
momentos 
da vida juvenil..
O que nos aproximava,
sei lá..
há tantos motivos
Em  
muitos momentos 
que me aproximei do espelho,
sim
aquele, espelho 
em  duas pessoas 
se olham tão atentos... 
depois
de tanto tempo
lembrava de novo
estar
junto a bela mulher, 
assim
contemplava 
sua silhueta 
e sua nudez..
e seus encantos, 
seu lábios rubros, 
seu cabelos negros 
a lá Rita Hayworth 
é o mesmo em que hoje me revivi..
no final,
num quase delirante 
encontro..
que nunca
imaginava...
já me vendo assim como hoje..
e carregando o tempo 
boas lembranças. 
Lá atrás 
à frente...
do espelho..
imaginava sua juventude...
a vida real assim.. 
como tantas vezes  
imaginei
que é preciso 
reinventar a vida 
e o mundo.
Lá estavam nós dois..
sozinhos, 
um homem e um mulher... 
Tudo é inédito,
nada parece impossível, 
Tinha, sim, bem presente, 
o tipo de mulher que desejava,
e isso se referia não 
só à aparência física.. 
queria uma mulher 
que fosse, 
por assim dizer, 
era sua alma.
Estava seguro, 
a reconhecia assim. 
Foi então..
só afinidades, 
de uma mulher simpática, 
atenciosa,
que o  coração bate mais forte...
era aquela, 
sem dúvida, alguém 
que sempre sonhara. 
Havia entre 
nos dois uma compatibilidade...
impressionante.
Ter...
e sentir alguém com 
que se sonha, 
tinha certeza disso,
Olhei-a, e foi isso 
de repente estava apaixonado.
A paixão que não sentira 
por mulher alguma..
e vivemos muito bem. 
Era uma mulher tolerante 
e bem-humorada..
que mobilizava o seu lado felino 
que, felizmente, estava 
eu sempre disponível.....
Existe sempre uma 
certa onipotência 
da juventude que  
as vezes captamos..
nesta fase.. 
melhor talvez... 
melhor do que ninguém...
olhando para nosso espelho.
talvez melhor do que nunca. 
Tudo na vida que é intenso 
é inesquecível..
Era assim aos 30, 
sentia..assim, 
Diria com fosse hoje. 
Havia uma mulher...
viva, 
inquietante, 
contraditória, 
selvagem, 
carnal...
beleza plena, 
e dessa plenitude, 
que um homem sempre 
dá conta com tanta 
desenvoltura,
nesta fase, 
o que não é de estranhar..
Dela fiz minha musa
quase ao primeiro olhar..
bela história de um homem 
que vivia um instante...
belo e de uma paixão..
afinal eu me apaixonei por ela...
a moça do espelho.. 
Cada um de nós, 
se olhava e via toda formosura 
em evidência, um no outro 
e cada um,
no seu corpo. 
Um momento de minha vida..
É o melhor momento talvez..
foi
no ano 1983..
um encontro 
uma Noite de Amor...
um sonho que não era sonho.
Em suma, 
o que se pode querer mais..
aos 50..
Ah, sim, uma vida decente...
foi tão bom aquele tempo 
te conhecer, 
muito fácil te querer 
tão bela..
Bom..
Bom..
te ver depois de tanto tempo..
tudo passa por estes caminhos 
vermelhos,
isso a vida ainda garante..
outros significados...
depois de longo 
tempo de ausência...

misteriosos caminhos.